Close Please enter your Username and Password


leandrodepolo 36M
0 posts
8/12/2011 9:29 pm
Meu pai adorava fuder meu cuzinho


Olá! Sou Leandro, moro em Belém, tenho 33 anos, sou um moreno cor de jambo, malhadinho e não aparento ter a idade que tenho, muitas pessoas dizem que eu aparento ter no máximo 22 anos, e levam um susto quando falo a minha idade, pra mim é excelente, acho que o tempo só me favorece.
Desde criança sempre fui atraído pelo meu pai, eu não sabia explicar o que acontecia eu nem sabia que na verdade o que eu sentia era tesão, adorava ver meu pai de sunga com aquele corpo definido, barba por fazer, e sempre meio bêbado, ele sempre me tratou muito bem, nunca lembro de ter apanhado dele por qualquer besteira que eu aprontasse. Acho que esse meu desejo surgiu quando eu tinha uns nove anos de idade, mas somente quando completei 16 anos que a coisa pegou fogo. Nessa idade eu já sabia o que queria. Também nessa época eu já tinha tido relações sexuais com meu primo da mesma idade que tinha mudado recentemente do Rio de Janeiro para Belém e com outros garotos da minha idade.
Meu pai bebia muito, chegava em casa todos os dias bêbado, dormia no sofá e num certo domingo quando cheguei o vi deitado na sala de sunga e com pau duro, naquele momento fiquei pirado me deu um tesão alucinante, fiquei maquinando o que eu poderia fazer, foi então que tive coragem e comecei a passar a mão naquele pau delicioso, eu tremia de tesão, coloquei o pau dele para fora da sunga e vi que era um cacete delicioso, ele era vermelho meio torto com a cabeça rosada devia ter uns 19cm então comecei a passar a língua naquele pau, mas eu estava com medo que ele acordasse, então escutei um movimento estranho em casa e fui verificar, era meu irmão pentelho, corri e joguei um lençol em cima do pau do papai e deixei aquela situação de lado, a partir dai todas as vezes que papai chegava bêbado em casa eu me aproveitava dele, eu já estava mais do que acostumado com aquela situação, já me sentia seguro todas as vezes chupando o pau dele. Tiveram muitas vezes que eu sentava e rebolava muito no pau dele e ele felizmente nunca acordava, até que um dia ele chegou muito bêbado e foi deitar isso era por volta das 19h e lá por umas 21h e fui acariciar o pau dele e estava como sempre muito duro até que ele me pegou no ato, acordou e ficou me olhando, fiquei desesperado e mais do que depressa comecei a disfarçar dizendo que eu estava lhe cobrindo, pois já estava tarde e eu iria para meu quarto, ele não falou nada e fique muito nervoso, vi quando ele levantou e foi tomar banho, retornou e ficou vendo tv, dai os dias foram passando nunca mais mexi com ele, eu tinha um sono muito pesado, eu estranhava que por mais ou menos duas vezes eu acordava pelas manhãs sempre meio melado de vaselina, eu não entendia, até que um dia eu acordei melado de vaselina e meu short estava rasgado entre as pernas, ai então foi demais, eu imaginei que estava ficando sonambulo novamente, até que um dia eu acabei com o mistério. Acordei pela madrugada sentindo meu pai metendo o dedo no meu cuzinho todo melado de vaselina, quando abri os olhos vi aquele cacetão tentando invadir minha boca, não pensei duas vezes e abocanhei aquela vara, eu não sei explicar o tesão que eu estava. Papai fodia minha boca com aquele cacete, me colocou de quatro no sofá, melou meu cuzinho e meteu o cacete, eu fiquei louco, fodeu tanto o meu cú, nessa noite gozamos umas três vezes.
No dia seguinte lá estava eu dando o cú novamente pra ele, e foi assim por muitos meses ele sempre me fodia todos os dias e às vezes fazíamos umas cinco vezes ao dia, eu era tarado por ele e ele por mim. Meu pai se tornou meu amante, minha mãe já estava desconfiada, pois nós nunca fomos tão chegados um com outro, e de repente ele vivia mais comigo do que com minha mãe, foi ai que ela ficou juntando as peças e nos deu um flagra, não estávamos transando mais estávamos começando a nos acariciamos, ela fez um mega escândalo, mas ficou por isso mesmo, ele fez aquele teatro dizendo que era coisa da cabeça DOENTE dela. Então mamãe ficou sempre de olho na gente, já não deixava que ficasse sozinho com ele e ficou meio difícil de ficarmos transando, mas sempre dávamos um jeito.
Meu pai chupava e comia meu cú deliciosamente bem, eu adorava quando sentia o seu leite pulsando dentro do meu cuzinho, transei com papai durante uns dois anos, ele mamava meu peito e deixava marcas, eu só vivia de camiseta, eu era todo marcado, ele adorava fuder o meu cuzinho de frango assado e mamava meu peito ao mesmo tempo, eu adorava ficar de frango assado na ponta da cama com ele, adorava sentir o seu leite quente no meu cuzinho.
Mas todo aquele tesão que sentia por ele foi acabando, tinha vezes que eu não queria mais transar com ele, eu sempre fugia das oportunidades, ele começou a me forçar e até mesmo me violentar sexualmente. Teve um dia que ele chegou bêbado e eu estava na rede da varando, ele me abraçou e me deu um beijo de língua muito intenso e começou a chorar dizendo que me amava, era louco por mim, sentia ciúmes pois sabia que eu estava me afastando dele e com certeza estaria me envolvendo com outros garotos, confessou que estava sofrendo muito. Ele me propôs que fugíssemos e queria pedir o divorcio de minha mãe para morar comigo, foi ai que percebi que ele era apaixonado por mim, transamos muito nesse dia, fiquei com maior tesão quando bati uma punheta e ele jorrou gala por um metro aproximadamente, ele estava muito excitado.
Meu pai foi um dos melhores amantes que tive, foi com ele que tive as melhores transas e gozadas, foi ele que deu as melhores chupadas no meu cuzinho, os melhores beijos de língua.
Completei meus 18 anos e sai de casa fui morar em outro Estado com meus tios, fiquei um bom tempo sem ver meu pai, só nos falávamos por telefone, mas nunca tocamos no assunto sexo, ele sempre pedia para eu voltar pra casa porque ela não era mais a mesma sem minha presença. Nunca mais morei com papai, fui adquirindo minha independência e fui mudando de cidades, hoje voltei para Belém, mas não moramos na mesma casa e nunca mais tivemos nenhum contato sexual. Um dia sai com o motoboy de o meu irmão para buscar umas coisas na casa de papai e ele nos pegou dentro da casa, ficou com ciúmes, faz mil perguntas sobre o motoboy e afirmei que era apenas o motoboy que trabalhava na loja do meu irmão e estávamos ali somente para retirar umas coisas.
Hoje tenho 33 anos, meu pai é mais velho que eu 17 anos, ele continua gostoso e eu vou vivendo minha vida. Hoje me vejo muito desejado por muitos homens, mas também não consigo ter um namorado fixo, sou muito acomodado, não me sinto bem fazendo aquelas obrigações de namorados como: ligando, marcando encontros, indo ao cinema ou viajando, eu adoro muito sexo e já fui até garoto de programa, mas quando eu vejo que meus paqueras estão ficando melosos comigo eu cuido de fugir e parto pra outro.